Impacto de itens de segurança no design arquitetônico é menor, quando incluídos desde o projeto inicial.

Dois Dez

É extensa a lista de normas de segurança que uma edificação precisa cumprir, por isso, muitas das exigências acabam sendo incluídas após a conclusão da obra e visita de técnicos, como especialistas em segurança do trabalho e bombeiros, por exemplo. Geralmente, essa inclusão tardia descaracteriza o design projetado pelo profissional de arquitetura e urbanismo, além de encarecer o custo de instalação. Para minimizar o impacto da inclusão dos itens de segurança em um projeto, o melhor caminho é trabalhar com uma equipe multidisciplinar e fornecedores com fabricação própria.

“Projetos industriais apresentam mais exigências técnicas como a presença de linhas de vida, ou trilhos rígidos, por exemplo. Mas pouco se fala sobre construções comerciais menores. Qualquer atividade exercida acima de dois metros do nível inferior, ou onde haja o risco de queda mesmo que menor que dois metros, já são enquadradas como trabalho em altura e devem obedecer a NR-35”, explica Christian Camara especialista colaborador convidado do Ministério do Trabalho na elaboração da referida norma.

De acordo com Camara, que também é diretor executivo da Dois Dez Industrial, empresa especializada na produção de sistemas de ancoragem para trabalho em altura, a participação da equipe de especialistas durante a criação de um projeto, permite o desenvolvimento de soluções com formatos e cores diferenciados para preservar o design criado pelo arquiteto e atender às normas de segurança.

O impacto e custos de instalação também são menores, quando os sistemas são previstos na fase do projeto, isso porque a fixação dos dispositivos de ancoragem pode gerar a necessidade de reforço no local. “A estrutura deve suportar a carga especificada no dispositivo de ancoragem. Essa intervenção é mais rápida e requer menos investimento, quando é realizada na fase de construção”, reforça Camara.

A utilização desses itens de segurança pode ser esporádica, porém, inevitáveis. Qualquer que seja o imóvel em algum momento haverá a necessidade de manutenções como pinturas de fachadas, limpeza de vidros, substituição de coberturas, ou instalações elétricas. Cabe ao arquiteto e urbanista antever essas necessidades e incluir, junto com especialistas em segurança, esses itens no projeto da forma mais adequada à segurança dos usuários e ao mesmo tempo, com menor influência no design.

A ancoragem predial PrevQ Âncora Dois Dez foi desenvolvida para ser fixada às estruturas metálicas ou concreto, através de chumbamento químico ou mecânico. Os olhais PrevQ Âncora, também conhecidos como esperas de ancoragem ou ancoragens prediais, são forjados a partir de uma única peça sólida de aço Inox 316, eliminando quaisquer possibilidades de trincas ou bolhas.

A ancoragem predial ou espera de ancoragem pode ser instalada em pontos estruturais de edificações, lajes de concreto, colunas, vigas em geral e outros componentes estruturais. Sua instalação é simples, pouco invasiva, esteticamente aceitável e possuí excelente custo-benefício.

Serviço:
Dois Dez
(19) 3829-2220 / (19) 3244-4710
doisdez.com.br